11 março 2017

[Resenha] Ratos


RATOS
Autor: Gordon Reece
Editora: Intrínseca
Ano: 2011
Páginas: 240
Skoob

SinopseShelley e a mãe foram maltratadas a vida inteira. Elas têm consciência disso, mas não sabem reagir — são como ratos, estão sempre entocadas e coagidas. Shelley, vítima de um longo período de bullying que culminou em um violento atentado, não frequenta a escola. Esteve perto da morte, e as cicatrizes em seu rosto a lembram disso. Ainda se refazendo do ataque e se recuperando do humilhante divórcio dos pais, ela e a mãe vivem refugiadas em um chalé afastado da cidade. Confiantes de que o pesadelo acabou elas enfim se sentem confortáveis, entre livros, instrumentos musicais e canecas de chocolate quente junto à lareira. Mas, na noite em que Shelley completa dezesseis anos, um estranho invade a tranquilidade das duas e um sentimento é despertado na menina. Os acontecimentos que se seguem instauram o caos em tudo o que pensam e sentem em relação a elas mesmas e ao mundo que sempre as castigou. Até mesmo os ratos têm um limite.




"Ratos" ficou muito tempo em minha estante esperando para ser lido, até que, resolvi ler para um desafio que iria participar.

Outra curiosidade, é que comprei o livro pela capa, que chamou minha atenção de cara! Uma toca de rato no rodapé de uma parede manchada de sangue e detalhe, a capa é vazada no local da toca. Achei a imagem por si só forte.



O livro conta a história de Shelley, uma garota de quinze anos, que sofre bullying na escola e está passando pelo divórcio dos pais. Ela passa por diversos episódios de violência sem contar a ninguém, mas tudo um dia vem à tona com um ataque mais cruel. O que traz consequências dolorosas.

"Fitando o céu, eu gostava de imaginar que vivia em uma época mais simples e inocente - de preferência antes de surgirem os seres humanos, quando a Terra era um vasto paraíso verde e quando a crueldade de ferir apenas por puro prazer era completamente desconhecida".

Por essas razões, ela e a mãe estão de mudança para um lugar mais afastado da cidade, o mais isolado possível. Isso faz com que Shelley as compare a ratos, duas pessoas que abaixam a cabeça para tudo e para todos e preferem viver escondidas.



A vida no Chalé Madressilva seguia em uma rotina calma que uma casa de campo pode proporcionar até que, mãe e filha são surpreendidas com um acontecimento que irá mudar tudo.

"Quando um gato invade a toca de um rato, ele não vai embora sem fazer mal nenhum".

A partir daí tudo muda, a trama fica muito intensa e perturbadora. Posso dizer que esse é daqueles livros que o leitor mal consegue respirar diante de tamanha tensão. E como é narrado em terceira pessoa por Shelley, eu me senti muitas vezes participando da história.


Recheado de reviravoltas de deixar os nervos à flor da pele, o que mexe com o imaginário do leitor. Qual é o nosso limite? Até onde vai uma mãe pra proteger um filho? O que é justo e o que é justiça?

"Talvez a verdade seja que todos temos um limite - até mesmo os ratos -, e quando ele é ultrapassado algo se transforma dentro de nós".

Apesar de todo clima tenso e de precisar tomar fôlego diante dos acontecimentos, foi uma leitura bem rápida, tamanha minha vontade de saber o final.

Aliás, final surpreendente! Sempre imagino várias coisas durante uma leitura como essa e não cheguei perto do que seria o final.

Nem preciso dizer o quanto recomendo! Só um arrependimento, o tempo que ele ficou parado na estante.

4 comentários:

  1. Vou já procurar esse livro, juro! Fiquei mesmo interessada, quer pela história quer pela temática. E ajuda o facto de não ter muitas páginas, visto que a minha vida agora é de leituras rápidas :p
    Obrigada pela dica! Beijos

    Pseudo Psicologia Barata

    ResponderExcluir
  2. Essa trama chamou minha atenção, bem o estilo que eu gosto.

    ResponderExcluir
  3. Que demais esse livro, não conhecia! E história e o conflito, pelo que percebi na resenha, também são bem tensas e originais.

    Muito bom, adorei a sugestão!

    ResponderExcluir
  4. Livro muito interessante, eu não o conhecia, mas pelo que você disse achei muito legal, eu gosto de temas assim. Mas não compraria ele pela capa, achei bem simples!
    A história parece ser pesada, um dia darei uma chance a esse livro!
    www.dobbyapresenta.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo