27 fevereiro 2014

[Resenha] Papisa Joana


PAPISA JOANA
Autora: Donna Woolfolk Cross
Editora: Geração Editorial
Ano: 2009
Páginas: 491
Skoob

SinopseNo ano de 814, Idade Média, que ficou conhecida como a Idade das Trevas, as mulheres eram impedidas de estudar, podiam ser estupradas e até mortas pelos maridos. O conhecimento estava sufocado, os países hoje conhecidos na Europa não existiam, nem os idiomas modernos. Cada região tinha o seu dialeto e a lingua culta era o latim, herdada do Império Romano, que já havia sido derrubado pelas invasões bárbaras. Foi neste período sombrio que uma mulher passou a maior parte de sua vida vestida de homem, estudou medicina, foi médica do papa e tornou-se ela mesma papisa - durante dois anos. A história da Papisa Joana foi conhecida até o século XVII, quando o Vaticano resolveu apagá-la da história da Igreja. Não adiantou. Dona Woolfolk Cross pesquisou, descobriu os arquivos e achou a história tão fascinante que a transformou num romance, em que aventura, sexo e poder cruzam-se com maldições, guerras e heresias. O livro foi transformado num grande filme que estréia até o final do ano no Brasil.



Oiee! 

Hoje trago a resenha do livro do Papisa Joana, de Donna Woolfolk Cross.


Joana era filha de um padre da região da Inglaterra e de uma herege, uma pagã saxônica, nasceu e viveu em uma época bastante difícil para as mulheres, onde eram consideradas inferiores, sem inteligência e sem alma. Devido a isso sempre tinham que estar sob a tutela e sob o mando de um homem.

Desde sua infância, Joana, já mostrava inteligência diferenciada e grande ânsia de aprender. Com uma determinação fora do comum ela consegue aprender a ler e escrever em Latim em muito pouco tempo.

Joana decide fugir de casa quando surge a oportunidade de ir para uma escola em outra cidade, deixando para trás os problemas com o pai autoritário e violento. 

Longe de casa, Joana se destaca em seus estudos, mas sofre com as limitações por ser mulher.



Com a morte de seu irmão, Joana toma seu lugar e se disfarça de homem, se tornando assim, irmão João Ângelo, padre médico de muito conhecimento em Roma.

Com sua popularidade, bondade e conhecimentos, Joana se torna Papa João VIII e governa Roma por dois anos. Papado que foi anulado do livro dos Papas e destruído qualquer indício de sua existência pela Igreja.

O livro é resultado de várias pesquisas feitas pela autora, além de fascinante e surpreende em muitos pontos. A autora relata fielmente a ordem cronológica, não só da vida de Joana, como as artimanhas e depravações religiosas da época. 

Devo dizer que, devido como os fatos foram tratados pela Igreja, eliminando qualquer referência a única mulher a ser Papa, isso acaba tornando a curiosidade sobre Joana maior ainda.



Papisa Joana é um romance encantador e arrebatador, a história de uma mulher forte, destemida, muito inteligente e a frente de seu tempo. Não desistiu de seu sonho, mesmo em frente a tantos obstáculos.

Gostei muito da leitura de Papisa Joana. Considero uma das personagens mais fascinantes que conheci, um romance histórico maravilhoso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem deixar um recadinho pra nós!

© Conduta Literária ♥ 2017 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo